Páginas

quarta-feira, 16 de abril de 2014

460 letras

Nunca deixes de acreditar. Nunca te conformes com aquilo que já és, com aquilo que já fizeste. Ambiciona, expande-te. Sê perfeito em tudo o que fazes, mesmo nas mais pequenas coisas cujas imperfeições pouco ou nada as mudariam. Ama intensamente. Ama de forma a que quem esteja à tua volta sinta que proteges quem amas e que és forte. O amor faz-nos fortes. Sonha. Sonha o mais alto que conseguires... Sonha de olhos abertos, para que possas ir escrevendo todas as tuas ideias. Sonha em ser diferente, sonha em melhorar-te. Não te restrinjas a ti: faz mais, faz maior, faz melhor. Tens que querer mudar. E mudar o que está à tua volta, sempre numa perspetiva evolutiva, rumo ao sucesso. Come, e come tudo aquilo de que gostas: nas proporções certas, sem exageros. Faz desporto. Cuida de ti. Não te cinjas pelos estereótipos que a sociedade tenta impingir-nos e onde cada um de nós é classificado, é rotulado. Não. Tu podes e deves ser único. Não invejes quem tem mais que tu, quem parece não merecer algo que já possui. Não te questiones sobre aquilo cujas respostas jamais irás alcançar. Luta pela liberdade. Pela tua e pela dos que te rodeiam. Nunca te esqueças de que a nossa liberdade não passa por fazermos tudo aquilo que queremos, mas, sim, tudo aquilo que precisamos de fazer para nos sentirmos bem, sem magoarmos os outros. Sê respeitador. Mesmo, e principalmente, quando não te respeitam: se fizeres o mesmo, se magoares quando te magoam, não és diferente, não és melhor. Não obstante, não tentes ser melhor que ninguém. Ultrapassa-te a ti próprio. Sem grandes pressas, sem aquela vontade louca e desmedida de ser alto, de ser maior. Não faças birras. Não percas tempo com aquelas discussões onde tu sabes que tudo vai ficar bem. Lembra-te de que não é para sempre. Um dia de cada vez. Sim, um dia de cada vez. Não faças da tua vida um livro folheado em dois minutos, em que não sabes o que aconteceu, mas, onde, podes dizer que viste todas as páginas. Não. Faz da tua vida uma moldura infindável, onde há sempre espaço para mais uma fotografia: guarda todos os momentos que conseguires contigo. Os maus, para que aprendas ou simplesmente para que dês valor aos bons. Estes últimos, para que, independentemente do rumo que tomes, saibas, e possas ver, que, outrora, foste tu. Foste desequilibrado, foste um falhado, tiveste sucesso, foste mau, ajudaste, perdeste ou até talvez tenhas sido só mais um. Não importa. Não te esqueças nunca, mas mesmo nunca, das tuas origens, da relva que pisaste, da chuva que te molhou, dos lábios que te aqueceram. Não te esqueças de ti. Nunca. E cuida-te, mima-te, protege-te, ama-te. És a coisa mais preciosa do mundo.



12 comentários:

  1. Adoro os teus textos! Continua! estás bem-vinda ao meu blog, também escrevo! :)

    ResponderEliminar
  2. texto lindo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! *-*

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso! Lindo! Continua com essa garra!

    ResponderEliminar
  4. Amei francisca...
    tambem tenho um blog e pessoas como tu estão sempre bem vindas
    http://lifesweetreal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Francisca:não te conheço mas deves ser uma pessoa maravilhosa. Continua sempre a sonhar ainda que a vida por vezes pareça tudo fazer para nos contrariar... Eu sei que tu chegaras "lá"!
    Um abraço com muito carinho e admiração.

    ResponderEliminar
  6. Podias ter ficado,
    Não me importava que tivesse durado para sempre.
    Durante esse tempo não me ia lembrar,
    um único segundo,
    das saudades que tinha de ti d'outros tempos.

    Ficava a olhar para ti,
    calados a sorrir,
    como sempre fizemos.

    No silêncio via os olhos que antes me amavam,
    os sorrisos que me embalavam,
    as mãos que me tocavam

    Choro em silêncio, para não me ouvir
    e não me lembrar da ferida,
    que ainda dói,
    dói de tanto querer que tivesses ficado.





    Fui eu que escrevi, podias dar a tua opinião?

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigada, por escreveres tão bem e obrigada por vezes nos fazeres refletir nos problemas da vida com as tuas palavras. Obrigada por isso, continua a escrever

    ResponderEliminar