Páginas

sábado, 9 de março de 2013

Meu...


Quando penso em ti não sinto borboletas a voar na minha barriga, nem lágrimas a escorrer-me pelo rosto. Não faço barulho e não conto a ninguém, com medo que alguém dê pela tua falta, ou pela tua presença, e te leve de ao pé de mim. Tento ser discreta e esconder o sorriso que se apodera do meu rosto, e guardo-o junto a todas as memórias e planos que tenho no coração. Escolho sítios escondidos, peço-te que apenas me sussurres ao ouvido quando me quiseres dizer algo e imploro-te para que entres devagarinho. Beijo-te em silêncio, abraço-te em surdina e espero que não seja preciso falar para que percebas que te quero dizer o mesmo de sempre... Corro contigo por entre os caminhos que a vida nos proporciona e não deixo que nada nos abale. Que venham os ventos mais fortes, as tempestades mais ferozes, que venha quem vier, e que venham quando quiserem, eu não quero saber, nenhum de nós os dois quer saber. Estamos prontos para vós. Para vós que, tendes tudo ou nada, parece que querem ficar com um pouco de cada um. Mas nós não deixaremos, nós nunca nos renderemos. Cada carícia, cada palavra, cada sorriso terno, cada lágrima de saudade, cada pegada deixada para trás... Tudo isto é muito mais. Tudo isto é muito maior. Encontrar alguém que amemos tanto, que nos faça tão feliz, tão livre e ao mesmo tempo que nos faça não querermos sair de junto dela é tão raro, tão escasso. Termos alguém que se preocupe connosco vinte e quatro horas por dia, que nos peça desculpa pelo mais pequeno erro, que nos deslumbre com as mais escondidas qualidades... Quantos de vós têm essa sorte?
Há coisas fantásticas neste Mundo, há pessoas incríveis bem mais perto de nós do que aquilo que por vezes imaginamos, e há momentos soberbos que merecem ficar marcados para sempre. Há histórias de amor que nos fazem apertar a nossa almofada e chorar horas a fio e há pequenas palavras que nos alegram de ânimo leve. Há textos que lemos tantas vezes que decoramos e há filmes que não queremos que acabem.
Tu, nós... É isto. És uma coisa fantástica, és uma pessoa incrível e proporcionas-me momentos que nunca esquecerei. É a nossa história de amor que me faz apertar a minha almofada e são as tuas palavras que me deixam contente. São textos como este que sei de cor e é o nosso filme que não quero que acabe...


21 comentários:

  1. Adorei o teu blog, tu escreves tão bem. Vou seguir-te, com muito bom agrado. Passa depois pelo o meu blog, e se gostares podes seguir.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh, muito obrigada querida!! vou ao teu blog, sim senhora. um beijinho muito grande

      Eliminar
  2. Que lindo!
    Adorei o teu blog!
    Já estou a seguir.
    Beijinhos Ludmilla
    http://all-of-my-lifee.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ola, é só para dizer que gostei muito da tua apresentação e que tens futuro como escritora :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Obrigado por vires ao Instituto D. João V.
    Gostei muito da tua apresentação e espero que tenhas muito sucesso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá!! obrigada pela simpatia e apoio, gostei muito de estar na tua escola, são todos muito simpáticos!!! um beijinho e espero que também tenhas muito sucesso naquilo que queres para ti!

      Eliminar
  5. Hey, sou uma aluna do IDJV, e ya, tenho alguns textitos, amava ter uma opinião tua, obrigada*
    "Não consigo adormecer, algo me despertou. A tua imagem não me sai da cabeça, o teu cheiro paira à minha volta, o teu sabor permanece na minha boca. O que é que se está a passar? Tudo em mim desapareceu, morri por dentro, mas tu continuas cá dentro, no meu pensamento. Depois de tudo, porquê?
    Não consigo adormecer, a vontade de estar contigo aumenta minuto a minuto, o desejo de te tocar mata-me, a tua voz ficou-me no ouvido. Estou a ouvir a palavra “desiste” da tua boca. Começo a chorar neste momento. Não consigo desistir, mas porquê?! Estão-me a vir memórias à cabeça, recomeço a chorar.
    Não consigo adormecer, lembraste de quando disseste que eu mexia contigo? Lembraste das palavras “amo-te”, “quero-te”, aquelas que me dizias? Lembraste? Eu lembro-me, não me esqueço, tenho tudo guardado cá dentro. Vivo de recordações, não chega. Preciso de mais.
    Não consigo adormecer, estou sem forças para mais. Já não sou a mesma desde aqueles dias. Como tudo mudou, como eu mudei, como tu mudaste, como nós mudámos. Tudo virou do avesso, não gosto disto. Estou a enfraquecer cada vez mais. Não consigo sorrir, roubaste-me o brilho que iluminava os meus olhos, levaste-me a felicidade que permanecia dentro de mim.
    Não consigo adormecer, sinto-me esgotada, não sei o que fazer mais. Mais memórias estão-me a surgir. Lembraste de como estivemos perto? Não faltava muito, o que é que mudou? E porque é que mudou o que mudou? Alguém que me explique? Estou a dar em maluca, lembrei-me agora, lembraste de quando me disseste que eu merecia melhor? Tu tens razão, eu mereço melhor. Mas sabes o que acho impressionante? Eu não quero melhor, eu quero-te a ti, tal e qual como és. Tu bastas-me para ser feliz, não preciso de mais.
    Não consigo adormecer, ainda estás presente em mim, amo-te demais. Não me reconheço. Onde está a rapariga que se ria mesmo sem haver piada, que andava sempre com um sorriso estampado na face, aquela que era feliz. Onde é que ela está? Preciso de mim de volta. Por favor devolve-me aquilo que me roubaste, por favor. Vê naquilo que me tornei, sorrir para disfarçar as lágrimas, falar em tons mais altos pra acalmar a vontade de gritar. Tudo mudou.
    Não consigo adormecer, só quero que desapareças da minha vida, da minha mente, do meu coração. Sofro demais por ti. Deixei-me envolver demais, acreditei em ti, acreditei em nós. Mas o “nós” nunca existiu, só na minha cabeça. Fiz planos, sonhei, ainda sonho. Ainda tenho esperanças, falsas esperanças afinal. Cada vez que me lembro que estivemos quase, dá-me um aperto no coração, uma vontade de partir tudo. É tão triste saber que acabou aquilo que nem sequer começou. Foi quase, mas não chegou lá.
    Não consigo adormecer, o meu coração partiu-se, mas continuo a amar-te com cada um dos pedacinhos. Estar contigo todos os dias e saber que nunca serás meu, é uma das piores coisas existentes. Continuo a não conseguir adormecer, estou-me a passar, a saudade aperta tanto! Sim, eu tenho saudades tuas, eu ainda estou aqui à tua espera, não sei porquê, mas estou. Marcaste profundo. Tenho uma ferida cá dentro, uma ferida grande, que custa a sarar, mas continuo a querer-te como nunca quis ninguém. Para mim és tudo, e tu sabes disso.
    Não consigo adormecer, estou a morrer, a força está-me a faltar e a esperança a desaparecer. Só te pedia uma oportunidade, mas não te posso nem quero obrigar a nada. Só quero ser feliz, preciso de me soltar de ti, preciso de coragem pra te esquecer. Sou tão fraca, quantas vezes é que eu já disse, “É desta que vou conseguir!”, e nunca consegui. Isto não me faz bem, tu assim não me fazes bem. Não sou feliz, percebes? Preciso de ser feliz, viver de um rio de memórias e um mar de ilusões não é fixe entendes? Preciso de mais e melhor. Desculpa não ter capacidades pra te também fazer feliz. Mas se nem sequer tentámos, a culpa não foi minha, sabes disso. Lamento tudo isto!
    No entanto, com esta cena toda, continuo sem conseguir adormecer."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bem... nem tenho palavras... está FANTÁSTICO! tens um talento enorme, minha querida, escreves TÃO bem!!! acho que também devias criar um blog e expor tudo aquilo que te atormenta, vais ver que ajuda. adorei mesmo o que escreveste! tens uma forma de expressar-te muito profunda e bonita, não desistas daquilo que já te fez feliz, a menos que essa felicidade já não seja baseada no respeito e no amor. sê tu própria e volta a descobrir a miúda alegre que há em ti. adorei o texto! os meus sinceros parabéns!

      Eliminar
  6. Sem duvida que a tua apresentação hoje no Instituto D.João V. não foi secante Como tinhas dito. Continua tens uma espantosa capacidade de comunicação e de escrita parabéns :D, passei cá para dar-te toda a força e continuares com o teu trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá miguel!!! obrigada! ainda bem que gostaste! continua a ser simpático e todo porreiraço como és! um beijinho

      Eliminar
  7. olá, gostei muito da tua apresentação hoje e conseguiste cumprir com o prometido de não ser secante. Por isso desejo-te sorte para o futuro e muito sucesso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá! ainda bem que gostaste!! espero que corra tudo bem e que consiga concretizar o meu sonho! também te desejo o melhor do Mundo! um beijinho enorme

      Eliminar
  8. Obrigada pelo elogio Francisca, eu por acaso também tenho um blog, mas deixei de lá ir, e este texto foi o meu primeiro, e já foi à dois anos, digamos que já mudei um pouco desde então, mas ainda escrevo, agora não tanto visto que sou como tu e só me dá mais vontade de escrever quando estou triste. Mas mais uma vez obrigada pelo elogio, foi mesmo bom saber que gostaste. E parabéns pelo teu trabalho, que tenhas muito sucesso, adoro mesmo. Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não tens que agradecer! manda-me o teu blog, para eu ler! e vai estando atenta/o ao blog, para saberes quando o meu livro sai, gostava muito de te ver lá! um beijinho

      Eliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. lá Francisca...(sou aluno do IDJV)
    Não venho para dizer que os teus textos são lindos, porque isso tu já devias de saber de cor e salteado.
    Eu também tenho um blog, quer dizer tenho desde o dia 8 de março, mas não acho que sinceramente chegue a algum lado, mas não custa tentar...
    (http://joaocpsilva.blogspot.pt/)
    Se gostares diz ... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá! obrigada!! vou ver o teu blog e irei comentar assim que ler os teus textos!! um beijinho

      Eliminar
  11. http://storiesofmylif.blogspot.pt/ Este é o meu blog, sou a autora daquele texto "Não consigo adormecer" (:

    ResponderEliminar