Páginas

domingo, 17 de março de 2013

Pequeno lembrete

Ter saudades é bom. É sinal de que se gosta, que se sente. Para mim, é como que um pequeno lembrete, algo que me diz que tenho coração. Quando estás presente, nem sempre confio nele, não lhe dou a devida atenção, mas depois, quando vais embora... Só lhe posso pedir que pare. Que pare de me sufocar e que me deixe respirar, porque a saudade é tanta que não consigo sequer fazê-lo sem esforço. Ter saudades é sinal de que algo falta, sinal de que alguém não está onde devia estar. Ter saudades é ter um aperto tão forte na garganta que a comida não passa para o estômago. É ter uma vontade enorme de chorar e é não conseguir controlá-la. É chorar até ouvir o último soluço e saborear o salgado das restantes lágrimas chegar aos lábios e mesmo assim não me sentir aliviada, como devia ser costume. Ter saudades é precisar, não é querer. É ter mesmo que ver, que tocar, que sentir. É não ficar satisfeita com uma fotografia, aliás, é ficar destruída por dentro ao ver uma fotografia. É solidão, é desespero. E ao mesmo tempo é um dos sentimentos mais nobres que conheço. O reconhecimento de que alguém é importante para nós, a humildade que é necessária para aceitarmos que não somos seres individuais e que não conseguimos viver longe de quem mais amamos. Tudo isto... Ter saudades é tão triste, puxa-nos para um mundo tão nosso que, por aquela pessoa não  estar lá, fica tão vazio. E, sem mais nem porquês, também é através delas, das tão faladas saudades, que vemos que, realmente, alguém é tudo para nós. Será então necessário perder alguém e sentir estas tais saudades que sufocam e nos reprimem para darmos o devido valor a quem era presente e agora se afastou?
Eu sinto saudades. Umas vezes mais, de uma forma tão intensa que só tu me preenches o pensamento, outras menos, onde as consigo minimizar ao imaginar a tua voz ou ao sentir o teu cheiro... Depende de como me sinta a cada dia que passe e na quantidade de vezes que, as mais ínfimas situações, me façam lembrar da pessoa fantástica que és e que, agora, não tenho aqui, a relembrar-me que alguém também me acha fantástica...




1 comentário:

  1. Ter saudades é bom, sim, por vezes...
    Precisamente, significa que gostamos e não esquecemos!

    Novo link do blog Never Give Up: welcometongu.blogspot.pt
    Se quiseres receber as actualizações no feed vais ter de clicar em seguir outra vez*

    ResponderEliminar