Páginas

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Amanhã será sempre um dia diferente

Vais acordar muitas vezes cansada. Não te vai apetecer levantares-te, ires para escola. Por mais vaidosa que sejas, a única coisa que queres naquele dia é vestir a primeira coisa que te aparecer à frente, mesmo que  não combine. Não queres ter que procurar e, muito menos, estás importada com isso. Não te maquilhas e não começas o dia com aquele sorriso que tanto elogiam pois, naquele dia, não te apetecia sequer mostrá-lo a ninguém, mesmo que tivesses motivos para tal. Sentes-te fatigada, enjoada da rotina, cansada de aquele ser só mais um dia. Mesmo que esteja um sol radiante, para ti é como se chovesse imenso. Não te apetece rir, não te apetece ter aquelas conversas com as tuas amigas que, normalmente, são importantes e, muito menos, combinar planos para essa tarde. Sentes-te de parte, como se nunca tivesses pertencido a este Mundo. Nada faz sentido para ti naquele dia. O céu não devia ser azul. A vida devia ser a preto e branco. O sol devia escurecer e as nuvens iluminar. O "off" devia ligar e o "onn" desligar. No inverno devia estar calor e no Verão um frio de rachar. Nada devia ser assim e tudo está irritantemente mal. Sentes-te feia, perdida, indesejada e o teu mau humor afasta aqueles que gostam de ti. Podes ter começado o dia com alguém, mas acaba-lo-às sozinha. Isolas-te, e choras. Choras porque sim, e porque não, mesmo que não te lembres nenhum motivo para o fazer. Interrogas-te sobre as coisas mais enigmáticas e persistes em procurar aquilo que nunca irás encontrar. Dizes que vais partir, mandas a secretária inteira pelos ares e, por entre lágrimas, apanhas os destroços. Aos poucos, vais-te apercebendo de como o teu dia te correu mal. De como conseguiu ir piorando ao longo das horas e de como desejavas nunca te teres levantado naquela manhã. Olhas-te ao espelho e sentes-te mais gorda, mais feia. O cabelo que antes adoravas parece estar mais oleoso que o suposto e as borbulhas que antes te eram indiferentes parecem agora invadir a tua cara. Não gostas de ti, e nem sequer te atreverás a olhar mais ao espelho. Desligas as luzes do teu quarto, não jantas, nem deixas de jantar. É como se a fome naquele dia não tivesse lugar. Só queres voltar a adormecer. Passaste um dia horrível e sabes que a culpa é tua. As pessoas afastam-se quando sentem que a sua presença não é desejada. Amanhã é um novo dia. Tu és bonita, e sabe-lo melhor que ninguém. É normal que estejas cansada, mas isso não te pode afectar ao ponto de trocares a tua luz por uma cara carrancuda. Quando acordares assim, vence aquilo que o teu corpo quer. Lava bem a cara e mete um sorriso. Arranja-te, maquilha-te e vai-te embora confiante. Enfrenta o teu dia de cabeça erguida e lembra-te que amanhã é um novo dia. E será sempre um dia diferente. Mas cabe-te a ti decidir quantos queres desperdiçar.




5 comentários:

  1. Mudei o endereço, agora podes encontrar-me aqui: http://rambling-whisper.blogspot.pt/. Beijinhos,

    Joana do blogue Awkward

    ResponderEliminar
  2. Fez-me reflectir sobre tudo um pouco, amei princesa :)
    bj*

    ResponderEliminar
  3. sinto-me assim variadas vezes, mas os outros nunca percebem... às vezes só me apetece sair da sala de aula a correr sem dizer nada a ninguém outras vezes refugio-me na música e passo o tempo todo sem dizer nada a ninguém. Mas não sei porquê, apenas acordo assim, dependendo dos dias, nem eu sei bem o porquê, apenas é assim. Obrigada pelo teu texto, adoro a maneira como escreves, vais longe... beijinhos*

    ResponderEliminar