Páginas

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A carta que nunca recebi

"Minha querida princesa

Sempre que começo a escrever esta carta tudo o que passámos apodera-se do meu pensamento. Todos os pequenos momentos, todas as palavras, os gestos, as discussões, até as coisas mais tontas que já te possas ter esquecido... eu relembro-as antes de adormecer. Ao acordar. Nas aulas. No caminho para casa. Quando mais preciso e nos dias que mais me dói a saudade.
Para mim, não és uma rapariga bonita no meio de tantas. És a rapariga mais bonita do Mundo. És a primeira a conseguir-me pôr com um sorriso terno e a última que quero magoar. És como que tudo, mesmo sendo pequenina. Aí dentro tens uma grande Mulher: uma mulher que eu amo, que eu desejo e que acima de tudo respeito, mais do que qualquer outra coisa. Quando olho para ti, não consigo perder-me nas tuas curvas ou no corpo fantástico que talvez até tenhas... Os teus olhos captam a minha atenção e impedem-me de me saborear com o mesmo que os outros homens. A imensidão do teu olhar, a forma como andas, o teu sorriso. As tuas palavras tímidas soltam-se aos poucos e a tua gargalhada dá-me vontade de te fazer rir mais. As minhas patetices, os meus erros, as minhas loucuras. Tudo isto não é exclusivamente meu, mas sim nosso. Nada daquilo que tenho ou sinto é só meu. Tu criaste aquilo que cá dentro me sufoca de uma maneira incontrolável e eu nunca poderei a mais ninguém agradecer ter sido preso... Preso ao teu olhar, aos teus lábios, aos teus atos. Querer estar contigo vinte e quatro horas sobre vinte e quatro horas e tentar fazer delas inesquecíveis. Mostrar-te de onde vim, o que sou, quem sou, para onde quero ir. E levantar-se sempre comigo. Mais do que palavras, fazer-te amar-me ainda mais com os meus gestos. Beijar-te a testa em sinal de respeito e não avançar sem que queiras. Dizer-te que é para sempre, e ser mesmo. Nunca te abandonar. Escrever-te estas cartas de amor vezes e vezes sem conta e não ter vergonha de dizer alto que te amo. Que és a minha princesa. Que por ti desistirei de tudo, mas que, se poder ser, levar-te-ei para tudo aquilo que já possa ter construído. É isto que desejo.

És, e sempre serás, a minha querida princesa. Acho que esta carta diz tudo o que para mim és, e tudo aquilo que para mim seres isto implica. Amo-te."


7 comentários: