Páginas

terça-feira, 30 de outubro de 2012

30-10-2012



É dia trinta de Outubro e já passam das sete da noite. Provavelmente tenho trabalhos, e talvez não devesse estar aqui, mas sinto que preciso. Quando liguei o computador, tinha imaginado que, ao abrir esta página e pusesse a música alto, ir-se-iam desenrolar palavras soltas, que, como é habitual, no fim dariam um texto que até a mim por vezes me comove. Não porque use palavras caras, ou diga coisas que nunca ninguém disse, mas porque sempre que leio o que escrevo, mesmo que seja passado breves segundos, fico surpreendida comigo mesmo. Eu... nunca imaginei que fosse assim, nunca imaginei que quando abrisse a minha alma, voaria de lá tanta coisa que me é impensável reflectir durante o dia, em qualquer que seja a situação. Eu sou alegre, sou apaixonada pela vida, sou a primeira a querer divertir-me e a última a parar de dançar. Sou a primeira a correr sem saber para onde ir só pela diversão de fazer uma corrida com alguém e a mais extrovertida, incapaz de chorar por perder. Sou aquela que é capaz de encontrar um motivo para gozar nas histórias mais insólitas e a miúda incapaz de desistir. Transpareço uma fonte inesgotável de energia e depois chego aqui... E vocês deparam-se com isto. Uma criança constantemente amendontrada, sem vontade de escrever sobre qualquer coisa que vos faça sorrir. Nunca ninguém aqui escreveu que se tinha "rido às gargalhadas" ou que eu tinha animado o seu dia. É sempre "fizeste-me chorar" ou "força". Será que eu nasci mesmo para isto ou que, no dia em que voltar a sentir-me amada, acabarei por não conseguir escrever?


2 comentários:

  1. Vais sempre conseguir escrever :)
    Cada nova experiência será uma nova inspiração para a tua escrita

    ResponderEliminar
  2. Quando te sentires amada será essa a razão para escrever.
    O que te acontece ou acontecer no dia-a-dia é o motivo de tu continuares aqui a escrever para nós =)

    ResponderEliminar