Páginas

domingo, 22 de abril de 2012

1OO palavras

Íris sempre quis ser tudo. Queria poder ser a melhor em tudo o que fazia e se existisse algo em que não era boa, então essa coisa que desaparecesse. Para ela, não existiam obstáculos: o céu era perto, o oceano pouco profundo. Encontrar ouro numa mina, fácil. Ser a primeira, habitual. A mais rápida, já estava farta. A melhor aluna, tantos prémios já arrecadara. Tudo estava ao seu alcance e aquela perfeição até a si já irritava: precisava de um desafio.
Alguém pediu-lhe que dissesse o que era a humildade: e até hoje ainda não a vi. Continuará à procura?

1 comentário: