Páginas

domingo, 6 de novembro de 2011

Casamento da Ana e do Ricardo

"Não sei o que é o amor. Não sei o que é largar tudo por uma pessoa ou deixarmos que a mesma entre na nossa vida. Não sei o que é acordar com alguém ao nosso lado, alguém cheio de amor e afecto, não sei o que é uma vida a dois. Talvez porque essa pessoa ainda não exista ou talvez porque não sei encontra-la no meio de todas as pessoas que vejo, não sei o que é amar. Não sei o que é amor.

Mas sei que existem duas pessoas que se amam imenso, duas pessoas lindas por dentro e por fora que ao longo de quase uma década aprenderam a lidar uma com a outra, passando tempos difíceis e outros mais fáceis. Ultrapassando barreiras enormes com grandes saltos e passeando por verdadeiros jardins do paraíso. Sei que existe um casal muito bonito que é apoiado na terra e no Céu, pelos que foram e pelos que ainda cá estão em corpo. Esse casal, que os nomes pouco interessam para falar neste texto, são a motivação para que eu, ou qualquer outra pessoa aqui, queira ser feliz com alguém ao seu lado, que lute pelos mesmos objectivos. Que apoie as minhas escolhas. Que me agarre quando todos me largarem. Que me liberte quando todos me sufocarem. Que me respeite mesmo que todos me desrespeitem. E, essencialmente, que me ame a mim pelo que sou, exactamente da mesma forma como eu o irei amar a ele, por aquilo que é.
Porque amar, é saber viver em conjunto, com aquele que está lá, quando precisamos e quando é desnecessário, quando acreditamos ou quando desistimos… na saúde e na doença, na felicidade e na tristeza, na riqueza e na pobreza. Porque amar é ser feliz, hoje eu declaro que à minha frente estão as pessoas mais felizes do Mundo."

Escrevi este texto para ler no casamento da minha madrinha Ana e do seu marido, recentemente oficializado, Ricardo.

Sem comentários:

Enviar um comentário