Páginas

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

"Só o tempo o dirá"

Quando pensava no meu futuro daqui a umas décadas há uns anos atrás via com nitidez uma mulher bonita, bem parecida, em torno de uma mesa cheia de papéis, com o portátil à frente, e a música ligada, a pedir aos miúdos para irem entrando no banho e ao marido para ver se o jantar já estava pronto. Via uma mulher de sucesso, numa família feliz, marcada por um casamento apaixonado, com dois ou três meninos adoptados, que, junto de nós, tinham ganho estabilidade e sido salvos dos orfanatos, chamando-nos de pais, enquanto se davam incrivelmente bem. Via uma casa bonita, com um jardim sempre limpo e de relva aparada, grandes baloiços,  um cão que finalmente me cativava... Uma vida perfeita. Imaginava-me a estar o dia todo em casa a escrever, a acabar grandes livros, enquanto ao mesmo tempo ajudava os meus filhos a fazer os trabalhos de casa e enquanto discutia com o homem da minha vida quem os ia por ao futebol no meio de tantos sorrisos e beijinhos discretos antes que os pequenos começassem a gritar "que nojo!"... Via-me a atender três telefones ao mesmo tempo, marcando reuniões com editoras ou dizendo que já tinha a crónica para o jornal pronta, enquanto na terceira linha convidava as minhas amigas para irem lá a casa beber um chá e criticar o país. E como adorava tanto aquelas tardes. Os miúdos só chegavam por volta das seis e guardava o computador por umas horas... Era bom ver que mesmo no meio de tanto trabalho tinha tempo para conviver com as minhas amigas de sempre, e, quem sabe, até ter uma noite mais animada assim que os miúdos caíssem nos seus sonhos da bola. Não via monotonia, uma pontinha de infelicidade... Tinha tudo o que sempre desejara, a casa era paga com o meu próprio dinheiro, estava com o homem que me amava e os miúdos eram saudáveis: podia desejar mais alguma coisa?
Não imagino como será o meu futuro e, talvez, acabe por ser só mais uma sonhadora afundada em palavras sofredoras, mas vou guardar este texto para o ler quando for uma pessoa adulta e comparar até que nível a minha vida será ou não assim. Talvez não precise de ser bonita ou bem parecida, e talvez até possa ser feliz sem ter nenhum homem ao meu lado, adoptando na mesma dois meninos que estejam num orfanato... Só o tempo o dirá.

6 comentários:

  1. Só mesmo o tempo o dirá. Adorei <3

    ResponderEliminar
  2. Isto poderia ter sido escrito por mim! Adorei, está mesmo bonito. Guarda o texto sim, verás que vai ser uma experiência muitíssimo engraçada e, até lá, espero que consigas tudo aquilo que ambicionas e com que sonhas todos os dias.

    ResponderEliminar
  3. Não penses no futuro, age de modo a obteres felicidade na tua vida, assim irás ser bem sucedida :)

    ResponderEliminar
  4. Princesa, sonhar ainda não se paga (felizmente). Quem sabe não terás isso tudo? Luta pelo que queres, e verás que os sonhos que hoje podes achar impossíveis, serão possíveis, tudo depende de ti ;). Adorei o teu post :)
    beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. De facto, devemos sonhar com o nosso futuro e até mesmo planeá-lo. Claro que ela será sempre diferente, por pouca que possa ser. mas com certeza que será melhor ainda do que o que planeamos. espero que assim seja ;D

    ResponderEliminar