Páginas

terça-feira, 9 de outubro de 2012

09-10-2012

Tenho muitos segredos. Na realidade, eu própria sou um mistério. Sou um mistério tanto para os outros, como para mim. Quando tenho a certeza que era incapaz de fazer uma coisa, faço-a sem dar conta. Quando tenho a certeza que era incapaz de dizer aquela frase, digo-a quase a gritar e já só consigo parar no final de toda gente a ouvir. Surpreendo-me todos os dias. Acho que todos nós achamos conhecermos-nos na totalidade, mas, e no final de contas, "é impossível conhecer a cem porcento uma pessoa"... Somos feitos de carne e osso, mas aquilo que nos define é o que temos cá dentro... Os nossos valores, a nossa personalidade, os nossos defeitos e qualidades, as nossas ambições... Não podemos pedir, mesmo que seja a nós próprios, para sabermos exactamente e ao pormenor tudo a cerca de nós. Vão existir sempre atitudes imprevisíveis, beijos repentinos, quedas inesperadas e abraçados espontâneos. A vida em si também é uma surpresa, não podemos estudar-nos, ou sequer tentar perceber porque agimos desta ou daquela forma naquele momento, porque, tal como o nome indica, foi um momento, uma fração de uma vida recheada de milhares de momentos. E não são momentos levados pelo vento que nos definem.


3 comentários:

  1. E devemos viver assim, sem grandes regras e limites. O que é inesperado acaba por ser melhor ;D

    Amei '

    ResponderEliminar
  2. Gostas um um bocado de escrever, só um bocado...

    ResponderEliminar