Páginas

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

24-08-2012


A minha vida nunca foi assim. Eu nunca fui infeliz, nunca me senti sozinha. Nunca perdi a esperança, a perseverança ou a vontade de viver. Se há coisas que nunca disse foram que não havia mais opções ou que ia desistir. Sempre lutei, e sempre acreditei que a força e a persistência eram o mais importante para vir a ser alguém. Achava-me uma guerreira, apesar de nunca ter estado numa guerra. Uma princesa, apesar de não viver num castelo. Queria tudo, e tudo tinha. Se me fosse embora, iam atrás de mim. Se ficasse, estava rodeada por pessoas que me adoravam. Ninguém me ignorava ou desprezava, pois para todos, eu era a Íris. Era alguém. Até àquele dia… em que deixei de ser alguém e passei a ser só mais uma, no meio de tantas: desrespeitada, invisível e, quando vista, ninguém.
Tudo mudou tão rápido que não tive espaço sequer para pensar no que estava a acontecer. Tiraram-me as armaduras e a espada e mandaram-me para a guerra, mas deixaram-me de chamar guerreira. Puseram-me num conto de fadas e fizeram-me acreditar que era princesa, vezes e vezes sem conta e depois? Depois não só acordei fora do castelo, como também reparei que o meu corpo já não contemplava um vestido real, mas sim o fardo da vergonha.
Se desisti ou desistirei? Não sei. Os guerreiros não vão até ao fim? E as princesas, não acreditam no para sempre?”


5 comentários:

  1. Nada de desistir, por muito que pareça que já não vale a pena. Luta por ti.

    ResponderEliminar
  2. Está a acontecer um concurso no meu blog chamado "Critica aqui". Passa lá para participares e divulga!
    http://writersfield.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Eu disse-te q vinha ver o teu blogue e vim ! tá espetacular parabens ;)

    ResponderEliminar
  4. ~ GERAL !
    Estão revelados os 3 vencedores de cada categoria , passa no blog e pega o teu selo de vencedor .
    Beijinho , Mariana Duarte .

    ResponderEliminar