Páginas

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

15-02-2012

Acho que tenho medo do futuro, daquilo que aí vem. Não sei o que vai acontecer e tenho medo que o confortável habitualmente desapareça.
Não vale de nada ter medo, não arriscar... Porque as melhores coisas, aquelas que mais nos alegram, são aquelas que nos custaram mais, aquelas que estivemos quase para desistir, mas "algo" impediu-nos. Uma força, um sinal, algo. Alguma coisa nos fez encontrar forças no vazio e lutar. E depois sabe tão bem ser recompensado...

Sem comentários:

Enviar um comentário