Páginas

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Amor

O amor não escolhe sítio, hora. O amor não age conscientemente, não tenta ser melhor que outra coisa. O amor cria expectativas, mas também dá desilusões. O amor separa e afasta, aconchega e deixa outras pessoas sem absolutamente nada. O amor corre, mas nunca te cansa. Tanto é excitante, como se torna completamente deprimente. Faz-te chorar, rir, desesperar e desejar. Por vezes, é claro como a água, noutras, tão confuso que te deixa desamparado. Faz-te cometer loucuras, ou ser muito receoso. Ter medo de tudo, ou agir como um verdadeiro herói. O amor mostra-te o melhor e o pior de ti, faz-te conheceres melhor o que és, o que queres. O amor demonstra-te que podes ser feliz e, na sua ausência, vinga-se, esvaziando-se do teu coração. O amor cresce, e cada semente de amor, dá fruto, ou então é levada com o vento... Mas, o mais importante do amor, é que não escolhe pessoas. Não liga a histórias passadas, a fotografias já tiradas. Aparece e muda tudo, faz-te renascer, querer começar de novo. Dá-te força, vontade. E é completamente fantástico amar..
.

5 comentários:

  1. ora essa, obrigada eu!
    eu sei bem que também tens este blog porque já o estou a seguir à algum tempo (:

    ResponderEliminar
  2. grandes verdades, ditas neste texto.
    adorei este post querida.

    ResponderEliminar