Páginas

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Pequenina

Como é bom ser pequenina. Acordar de manhã e correr para o sofá, ligar a televião e clicar em todos os botões do comando, à procura dos melhores desenhos animados. Como é bom estar aninhada, com um cobertor de pêlo por cima de mim, e um pacote de bolachas no chão. Ai, e como é mesmo delicioso não pensar nas calorias que estou a comer, nem me lembrar sequer de que a seguir tenho que levar os dentes e puder devorar dois e três pacotes inteiros.
E depois, pensar no que tenho que fazer e lembrar-me que posso ficar de pijama o dia todo. Que não tenho que estudar, ou que fazer nos trabalhos de casa. Como é fantástico não ter telemóvel e ele não estar sempre a tocar, sentir que estou realmente livre de tudo, ou puder simplesmente abraçar um peluche sem ter medo que alguém goze.
Ser pequenina é algo tão especial. Ser tudo e ao mesmo tempo não ter nada. Não ter limites na imaginação, e acreditar que se pode mesmo voar: e saltar cada vez mais alto em cima da cama, com o braço esticado, a tentar tocar no "céu"... Como é tudo tão bonito quando somos crianças.
Até aquilo que vemos é diferente. A forma como interpretamos, até os nossos sonhos. Tudo se torna tão fácil e linear, não há dúvidas e os maiores medos são o escuro e o bicho papão.
Quem me dera voltar a ser bebé e puder deitar-me na cama dos meus pais sem me dizerem que já sou crescida demais.
As grandes coisas são vistas com os olhos mais pequenos, e quando somos pequenos o nosso coração parece ser tão maior.
Até o próprio amor é mais puro, e parece mais frágil, mas ao mesmo tempo criam-se laços tão fortes. Tudo é mais inexplicávelmente inocente e aquilo que acontece fica para sempre na nossa memória.
Não há dramas, histórias menos boas... Sou só eu a viver a minha infância e a ser feliz.
Tenho saudades, sabiam?

9 comentários:

  1. Adorei o texto* Só tenho pena, de infelizmente, nao ter tido uma infância tao boa como a que tu descreves... Ah, e abraça o peluche com toda a confiança, e nao te importes com quem goze. sério :)

    ResponderEliminar
  2. amo! também tenho saudades, e muitas...

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por seguires o meu blog :) Também gostei muito do teu e adoro a tua forma de escrever *
    bisous

    ResponderEliminar
  4. obrigada (:
    tambem sigo teu , beijo .

    ResponderEliminar
  5. já estou a seguir ambos os blogs! fico confusa, e nao sei nunca no qual responder aha. nao acho que escreva grande coisa, mas se o dizes. eu agradeço. tu tambem escreves muito bem!

    ResponderEliminar
  6. Não és a única a sentir saudades!
    Oh, quantas vezes já me vi perdida nas lembraças da infância. Era tudo tão simples ... Mas ao menos temos as recordações e as memórias, e ao sentirmos saudades prova que foram bons tempos, e nada nem ninguem nos pode tirar esses momentos que foram vividos.

    ResponderEliminar
  7. As coisas do coração são alimento do qual nunca podemos prescindir.

    Bj

    ResponderEliminar